Últimas Notícias

Após sucesso da “bolsa da Oprah”, brasileira Misci monta plano ambicioso para crescer

PublicidadeAiron Martin, designer da bolsa bambolê adquirida por Oprah Winfrey no mês passado, já está acostumado a ver celebridades estrangeiras utilizando suas peças. Em março de 2023, a cantora espanhola Rosalía foi fotografada com o boné “Mátria Brasil”, quando veio ao Brasil para se apresentar no festival Lollapalooza. O cantor Sam Smith e a DJ sul-coreana Peggy Gou são outros “gringos” ilustres que já compraram itens da brasileira Misci — marca fundada por Airon há menos de quatro anos.  Dentre os clientes brasileiros, a primeira-dama Rosângela Lula da Silva, a Janja, a ministra Marina Silva e a atriz Bruna Marquezine ajudaram a dar impulso à marca. “Nossa estratégia é crescer nacionalmente para ter peso de caixa e começar a ativar nossa internacionalização”, afirmou o designer mato-grossense, em entrevista ao IM Business. “Enquanto isso, o internacional acontece de maneira orgânica. […] A Misci está virando a marca que o ‘gringo’ que vem ao país quer conhecer”. Airon Martin, fundador da Misci (Divulgação)O efeito Oprah nas vendas da Misci foi imediato. Em sua passagem por São Paulo, em abril, a apresentadora comprou três bolsas na loja do shopping Cidade Jardim. O episódio aconteceu no último dia 10 e, dois dias depois, a grife já havia batido sua meta de vendas on-line para o mês. Não houve mudança de estratégia após o hype — a bolsa bambolê, hoje, é encontrada no site da Misci pelos mesmos R$ 2.280 de quase um mês atrás. Mas Airon reconhece que a chancela de um ícone da TV americana foi uma validação.  Continua depois da publicidadeLeia mais: Oprah Winfrey defende injeções para emagrecimento e alfineta Vigilantes do Peso“O Brasil é visto como um país que exporta chinelos enquanto o ‘produto bom’ vem da Suíça. A gente exporta a melhor seda do mundo. Por que não exportar a camisa pronta?”, indaga.A unidade do shopping Cidade Jardim, onde Oprah Winfrey esteve, é a terceira loja física da Misci (todas estão em São Paulo) e foi aberta em janeiro deste ano. Um cliente da grife gasta, em média,  R$ 1,7 mil por compra. A Misci também vende suas peças para o exterior pela plataforma Farfetch, de moda de luxo, mas a participação dessas vendas responde a uma fatia pequena das receitas, de apenas 3%.Continua depois da publicidadeA bolsa bambolê, modelo adquirido por Oprah Winfrey (Divulgação)Recentemente, a marca juntou forças com outra grife brasileira independente, a da estilista Lenny Niemeyer, e vai ganhar escala. Com a parceria, Airon prevê levar a Misci para 250 multimarcas pelo Brasil, Estados Unidos e Europa. No exterior, a Misci está sendo assessorada pela agência de relações públicas Karla Otto, especializada em atender marcas de luxo como Dior e Louis Vuitton. Leia mais:Airon diz que a ascensão das marcas independentes é um fenômeno mundial. Grifes que não fazem parte dos grandes conglomerados da moda estão conseguindo se difer  

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo